breve

serei breve

passarei por sua janela
veloz como um pássaro
que não busca pouso

em breve
assim espero
não espere mais

então direi fui
e a poeira
confirmará

em breve
toda estrada será neutra
toda noite pouca

e seu rosto corpo sorriso
não serão mais que um hábito
de escavar memórias

paralelas

lua-e-estrelas
.
Fizemos uma festa
Não exatamente uma festa
Pois a convidada principal
Não poderia estar presente
Ainda que tomasse tudo e sorrisse

Caminhamos na praia
A lua e as estrelas brilhavam sem cachê
Por pura vontade de existir
Em sintonia com o universo

Vi uma estrela cadente
Fiquei feliz ainda que o coração partido
Pedi nada e ao mesmo tempo tudo
É sempre assim na aflição de responder
Em um segundo qual o nosso especial desejo

Neste momento o desejo maior
Não poderia ser satisfeito
Tem coisas da vida que não tem direito
A retoques ou correções

O céu estava lindo de doer
O mar brando ia e vinha em seu eterno repetir
Formávamos um grupo inusitado
Em nenhuma outra circunstância
Estaríamos ali juntos

Pés afundando na areia passos sem motivo
Enquanto uma estrada paralela e clara se desenhava
E nossa amiga seguia por ela
Ao som de pássaros e violinos

(para Denise)

avise

Não deixe que eu te faça infeliz

Às vezes a gente se distrai

Esquece que o outro também tem seus ais

Que o amor, sem trato, se esvai

Se trago esse assunto agora

Quando tudo ainda são flores

É pra que no final não sobrem apenas espinhos

Por isso esse pedido que parece descabido

Pode esquecê-lo por agora

Mas para nosso próprio bem

Me avise a hora de partir