assim assim

jardim-foto

.

não há bússola que não nos perca

                                                 ou relógio que vez ou outra

           não puxe o tempo pra trás

e nos sopre em outra direção

revisitar

sombra

.

há sons que transpassam os dias, chuva no telhado, sussurros, talvez lamentos vindos da madeira dos velhos armários. um galo distante na madrugada, goteiras na pia, rezadeiras em prece. ressonâncias, procissões, ressonares.

divido minha perplexidade em várias, o tempo passa e sigo me surpreendendo. sei que não deveria. mas suspeito que esse é um estado permanente. assim desde menina. ou mesmo antes de mim.

conecto-me, ou tento. religar, relicários. ingresso numa religião pré-pós-fim-do-mundo  e quase duvido dessa realidade que nos prende a matéria. penso nas marionetes, numa rebelião de todas elas.

uma coisa te digo, não é fácil ser profundo, nem profano. num mundo assim tão quase, tão clichê. essa palavra sempre me lembra chicletes. mas não quero me dispersar. difícil caminhar sobre pedras quando nem elas são concretas e assumem suas existências temperamentais. confesso. também sofro de turbulências e intempéries. por isso é sempre conveniente manter os cintos de segurança apertados.

costuro um sentido. na gaveta de bordados minha avó cochila entre um crochê e outro. ao lado dela um enorme carretel de linha crua, um outro de fino cordão dourado. as histórias se costuram sem pontos ou moldes premeditados, talvez sem futuro.

há gavetas para tudo, na maioria etiquetas explicam o óbvio, mas em algumas não posso entrar, acho que perdi a chave de uma meia dúzia. minha avó não pode sair da sua para me ajudar. não entendo uma palavra do que dizem os outros seres que por aqui passam.

tento prestar atenção na previsão do tempo para depois de amanhã. chove torrencialmente agora em algum lugar. nem todo avião cai mas todo voo é risco.   

presentepassado

foto antiga

.

folheio álbuns fotos cartões postais

catalogando:

guardar queimar esconder

e um monte fica sobrando

para um outro olhar

.

invento histórias

para os coadjuvantes

interrogo aqueles que reconheço

e me detenho especialmente

naquela que fui

.

pergunto sem meias palavras

o que dela em mim permanece

enquanto avalio disfarçadamente

o que dela perdi na poeira do tempo

somo divido multiplico

tudo é contundente e inconcluso

.

e no silêncio da noite

volto as fotos preservadas em segredo

caminho por aquele passado

do qual não posso me desfazer

nem decifrar

colocando a vida no lugar

tumblr_n7oeyoWiUD1rr2cq6o1_400 em-dissoluvel

(tumblr_n7oeyoWiUD1rr2cq6o1_400 em-dissoluvel)

.

o sal no pote de sal

coisas velhas nos sacos de lixo

roupa suja na máquina

os lençóis na cama

livros na estante

de preferência em ordem

alfabética por autor

.

fechar a porta

com cuidado sair 

jogar fora o saco com passados

gastar as horas e a sola dos sapatos

aliviar o coração

tomar água de coco

pra tirar o gosto de fim

. 

abrir a porta com três voltas de chave

recolocar os pingos nos is

a roupa no varal

tomar um banho quente

fazer um chá

e antes de dormir

devolver as estrelas pro céu

quadratura

 

tumblr_n7ks6yLmmb1rr2cq6o1_400 em-dissoluvel

(tumblr_n7ks6ylmmb1rr2cq6o1_400-em-dissoluvel.jpg?w=450)

 

estou um pouco sem palavras

diante do ódio o que dizer?

estamos todos um pouco mais ocos

o eco de tantas tragédias ensurdece

compromete estruturas

já um pouco frágeis

.

um pouco mais cética

assustada

onde acontecerá e quando

o próximo ataque ?

de lama bombas ódio medo ?

e para onde ir?

abrigo debaixo da terra

passagem pra Marte

nova guerra contra tantas guerras?

.

sem palavras

sem ação

e na ampulheta

o tempo

se esvaindo

dias de sol

sol

.

amanhã será outro dia

e ainda assim esse dia não vai partir

permanecerá entre fronhas e presságios

.

mas a vida não vai te abandonar

nem te permitir morrer de dor ou tédio

persistirá latente 

.

e em pouco te atropelará 

os momentos de luto serão suspensos

tomados de assalto por contas e caos

.

o alerta será vermelho o tempo curto

a urgência de inúmeras coisas 

trará de volta o intenso tráfego do dia-a-dia

.

as noites serão longas e iguais

durante um tempo sem tempo

montanhas de dúvidas e cavalos de batalha

.

mas aquele dia que você acreditou jamais esquecer

aos poucos irá desbotando

ao contato com raios de sol e vaga esperança