dias de sol

sol

.

amanhã será outro dia

e ainda assim esse dia não vai partir

permanecerá entre fronhas e presságios

.

mas a vida não vai te abandonar

nem te permitir morrer de dor ou tédio

persistirá latente 

.

e em pouco te atropelará 

os momentos de luto serão suspensos

tomados de assalto por contas e caos

.

o alerta será vermelho o tempo curto

a urgência de inúmeras coisas 

trará de volta o intenso tráfego do dia-a-dia

.

as noites serão longas e iguais

durante um tempo sem tempo

montanhas de dúvidas e cavalos de batalha

.

mas aquele dia que você acreditou jamais esquecer

aos poucos irá desbotando

ao contato com raios de sol e vaga esperança

escolha

fica e esquece

ou parte e carrega

o fardo como lembrança

.

ou ainda

respira fundo

e aguarda

.

que o tempo

dissipe

as ilusões

.

e novas cores

se desenhem

depois da chuva

duo

o dia passa

você nem vê

dedilha o piano

juntos sonham segredam

.

a noite cai

a música persiste

infiltrada nos móveis

da sala dos meus afetos

.

do longe da minha janela

te adivinho debruçado

no teclado branco brando

mãos compridas dedos ágeis

.

o som embala o tempo

o romance que leio

e me leva onde moram

coisas belas

a casa de pedra

tumblr-in-dissoluvel. jullietth3

o jogo de xícaras
de fina porcelana
tem muitos anos
de guardado
nenhum de uso
assim como a toalha
bordada a mão
e a caneta de ouro
em que a tinta secou
sem nunca traçar um risco

distâncias

tumblr_quero ser picasso

                                                                                                                                                       (tumblr_quero ser Picasso)

costuro algumas tramas

enquanto o tempo as desfia

do longe da infância

chora uma criança

que por sentir-se só

constrói um mundo

.

qualquer uma é sua história

mergulha de cabeça e vive

aqui tem três filhos e é bela

ali adoece

ou tem um lado obscuro

é tantas que quase se perde

às vezes de fato esquece

a dor da vizinha

que tudo daria

por um abraço

que espantasse o medo

.

do futuro

.

observo a menina

quase a afago

e ela aos poucos

se apazigua em mim

passa boi passa boiada

miró
(miró)
.
caminho por entre estranhos
tirando fino da sorte da dor
das notícias e do tédio
passo noites em claro
digerindo o óbvio
dirigindo uma história
um pouco drama um pouco farsa
na falta do que ser sou poeta
fujo do sério passo do severo fuso
de cabeça pra baixo me sinto melhor
o sangue desce as ideias gozam
a hora invertida me dá tempo de sobra
e da janela do meu quarto
fincado num alto prédio
fico a ver navios e trens
maria-nuvem maria-fumaça

(do livro fronteiras)

cultivar

Tenho questões pendentes

que me esforço por resolver

embora duvide do valor do que se faz

da dor que nada traduz

da espera nos pontos de ônibus

 

Tenho reunido impressões

em fotos em abraços em branco

guardado amores em rascunhos

apostado em noites sem lua

em corpos sem rosto

em rostos sem amargura

 

Tenho feito de tudo um pouco

e pouco me ajudam os mapas

as viagens de qualquer espécie

e os dicionários de antônimos

 

Mas me esforço para sorrir

bilhar junto aos primeiros raios de sol

e embarcar em sonhos e planos

às vezes em alto mar

outras em voos rasantes 

 

Viajo em rios caudalosos

em braços feitos cipó

um dia maremoto outro túnel do tempo

outro ainda lições de silêncio

ou um amor que dura infinito momento

sem tempo sem muros

semente