romance

longe e tão perto

jogos de memória

e de espelho

dias entrando noites

abraços misturando sonhos

fechar os olhos

e por instantes chegar

em seguida saber

o ponto equidistante

em nós

abrir os olhos

virar a página

varanda

“O senhor poderia me dizer, por favor, qual o caminho que devo tomar para sair daqui?”
“Isso depende muito de para onde você quer ir”, respondeu o Gato.

enquanto leio

poemas avessos

talvez meus

um gato azul

me observa

distraidamente atento

sei que não ri de mim

nem se apercebe

que meu mundo ruiu

apenas se joga

da varanda

com seus olhos puxados

e seu pelo furta-cor