Amores Vagos

Não saber onde está

No meio da noite

Só a noite

O risco do poema

No asfalto molhado

Nenhuma pista

A madrugada avança

Há telas contra mosquitos

Veias que pulsam motivos

Idéias vagas, vazios

Esquinas e avenidas

Não saber por onde ir

De onde puxar o fio

Se não há endereços exatos

Ou amores oficiais

Só vagos

Um comentário sobre “Amores Vagos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s