pistas

siga sábado domingo segunda

pés descalços campo aberto

aproveite a conjunção dos astros

relembre a canção mais antiga

vá até o porto siga pistas

mas não dobre a esquerda

nem aposte tudo

em qualquer disputa

guarde força e vida

para depois

paralelas

lua-e-estrelas
.
Fizemos uma festa
Não exatamente uma festa
Pois a convidada principal
Não poderia estar presente
Ainda que tomasse tudo e sorrisse

Caminhamos na praia
A lua e as estrelas brilhavam sem cachê
Por pura vontade de existir
Em sintonia com o universo

Vi uma estrela cadente
Fiquei feliz ainda que o coração partido
Pedi nada e ao mesmo tempo tudo
É sempre assim na aflição de responder
Em um segundo qual o nosso especial desejo

Neste momento o desejo maior
Não poderia ser satisfeito
Tem coisas da vida que não tem direito
A retoques ou correções

O céu estava lindo de doer
O mar brando ia e vinha em seu eterno repetir
Formávamos um grupo inusitado
Em nenhuma outra circunstância
Estaríamos ali juntos

Pés afundando na areia passos sem motivo
Enquanto uma estrada paralela e clara se desenhava
E nossa amiga seguia por ela
Ao som de pássaros e violinos

(para Denise)

futuro do pretérito

as rédeas  escapam de nossas mãos

o cavalo que supúnhamos cavalgar

nos dirige para onde quer

mostra o que somos quando a deriva

nos leva aonde não saberíamos chegar

nem ousaríamos se mantivéssemos

a vida sob nosso domínio

 

tolice ou pretensão, sei lá

não há qualquer chance de seguirmos

por estradas límpidas

bem delimitadas nos mapas de navegação

 

navegamos em mar bravio

sem bússola

sem mapa

sem navio