fronteiras

fiz um livro chamado fronteiras, levei-o comigo a muitos lugares

na tentativa de delimitar, ou melhor, deslimitar meu mundo

deixei-o entre espanha e portugal no exato ponto em que me disseram

aqui é um, ali é outro país, embora não tenha notado qualquer diferença

outro está perdido entre mato grosso e bolívia

onde pode parecer que é só um fim de mundo e não dois

em outras fronteiras neste mesmo Brasil ou longe dele,

e, os que não deixei, queria ter deixado (e por isso lá estão)

e continuo espalhando-os por aí

e dentro de mim, indefinidamente.