Caminhos rotos 1

Caminhos rotos 1

Moro onde jurei jamais passar
Fiz coisas que prometi nunca repetir
(embora siga fazendo sem conseguir evitar)
Menti sobre mim mesma de tal forma
Que nem mais posso distinguir
O falso do provisório

Se tivesse naquela época
Noção de que a vida dura um bom tempo
Talvez tivesse falado só verdades
De qualquer modo pensariam que mentia
Mas estaria livre
Não prisioneira de meus devaneios

Nesta casa que garanti não pisaria
Ao lado de quem jamais estaria
Observo o caminho das águas
Os desvios do destino
E ouço ao longe o riso nervoso
Daqueles que evitei e que me aguardam

Se tivesse tido coragem
De virar a mesa na hora certa
A vida hoje seria outra
Uma outra casa onde numa mesa virada
Beberia vinho e talvez até brindasse
com os indesejáveis

Agora eu sei
Nao se foge de si mesmo
Uma vida inteira
No último instante ou quase
O amante do momento retira a máscara
E é você mesma a peça que faltava.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s