fuga

mae-marsh-in-the-sands-of-dee1912

(mae-marsh-in-the-sands-of-dee – 1912)

.

a moça que vê o mar
batendo na pedra batendo na pedra batendo
na pedra onde a moça se senta se senta
sessenta vezes por lágrima por dúvida por hora
o mar que vê a moça tão triste na pedra
e não sabe de onde vem o imenso desejo
de ficar junto a ela junto dela
e a moça suspira vendo o mar bater na pedra
bater na pedra bater tão duro na pedra
que aguenta a força do mar diário
a querer desfazê-la lapidá-la empurrar pra longe
a pedra que nem percebe a moça seu peso tão nada
tão feito de espera de espuma que o mar leva
quase a seus pés num esforço sobre mar de dizer
que a ama que a quer sem palavras só ondas
a bater na pedra bater na pedra
onde a moça se sente tão triste tão só
o mar a brigar com a pedra a bater com fúria
tentando erguer-se chegar a ela tocá-la
nem que seja por um instante uma onda
e ela sem suportar mais se deixa levar
escorregar pela pedra escorrer toda dor
apagar os dias virar mar virar

6 comentários sobre “fuga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s